Logo Super Vestibular

Dicas sobre Ordem Mundial no Enem

O tema da Ordem Mundial no Enem pode ser cobrado envolvendo inúmeros aspectos, como a política, o poder militar e outros fatores.

Publicado por Rodolfo F. Alves Pena
A ordem mundial envolve estratégias políticas internacionais
A ordem mundial envolve estratégias políticas internacionais

Olá, pessoal! Hoje vamos discutir um pouco sobre a questão da ordem mundial no -Enem e como esse tema, que possui vários aspectos, pode ser cobrado na prova.

O que é uma Ordem Mundial? E o que é a Nova Ordem Mundial?

Quando falamos em uma ordem mundial, estamos falando da correlação de forças existentes entre os Estados. Em outras palavras, a ordem mundial representa a configuração das hierarquias no plano internacional, sobre quem “dá as cartas” no panorama político. Isso ocorre porque não há, institucionalmente, nada acima dos Estados, haja vista que mesmo os blocos econômicos, bem como instituições como ONU e OTAN, são formados e administrados pelos próprios países.

Existem três principais fatores que definem o poderio de um determinado Estado no plano internacional: 1) a sua soberania; b) o seu poder econômico (PIB, renda per capita etc.); c) e o seu poder militar. Dessa forma, à medida que as configurações em alguns desses fatores transformam-se, mais a (des)ordem mundial altera-se.

Para se ter uma maior noção sobre como estudar o tema da Nova Ordem Mundial no -Enem, precisamos ter em mente alguns conceitos e questões elementares, os quais elencaremos a seguir.

Da bipolaridade à multipolaridade

Após a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), o mundo passou por transformações na ordem geopolítica, uma vez que os grandes atores internacionais que se consolidaram após esse conflito eram Estados Unidos e União Soviética, na chamada Guerra Fria. Temos aí o conflito indireto no plano internacional entre dois países, o que configura aquilo que se convencionou chamar de bipolaridade. Nesse momento, o ponto mais importante era o plano militar dos Estados.

Após a queda do muro de Berlim e o esfacelamento da União Soviética, o mundo passou por um novo panorama. Os Estados Unidos passaram a ser a única e grande potência militar, o que levou muitas pessoas a imaginarem a emergência de uma unipolaridade sobre o mundo. No entanto, nesse momento, o plano econômico passou a ser mais importante que o militar, colocando em evidência países como o bloco europeu (com destaque para o Reino Unido, Alemanha e França), o Japão e, mais recentemente, a China. Há, portanto, a tese de que o mundo teria se transformado em uma ordem mundial multipolar.

No entanto, o poderio militar não pode ser esquecido, e a hegemonia dos Estados Unidos (embora tenha diminuído nos últimos tempos) também não. Fala-se, portanto, de uma ordem mundial unimultipolar, com os Estados Unidos na soberania bélica e outros países acompanhando o crescimento econômico. Essa correlação de forças tornou-se ainda mais complexa com a recente postura mais agressiva da Rússia, tema que tem grandes chances de aparecer no -Enem desse ano, principalmente em relação à crise da Ucrânia e à disputa pela Crimeia.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Outros fatores importantes

Existem outros temas importantes para o candidato estar de olho relacionados com essas questões da Nova Ordem Mundial. Um deles é o crescimento dos países emergentes e a formação das chamadas potências regionais. Os BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) são exemplos de países emergentes que se transformaram em potências regionais, ou seja, com um poder relativo em uma dada região, embora o poder econômico da China esteja alcançando níveis mundiais.

Além disso, outra questão importante é a regionalização mundial, que, na ordem mundial atual, sofreu alterações. Se antes o mundo era visto pelo eixo leste-oeste, com o oriente em maior parte socialista e o ocidente quase que totalmente capitalista, hoje temos o eixo norte-sul, com os países do norte em sua maioria desenvolvidos e os do sul subdesenvolvidos e emergentes.

Não obstante, também cresce no período pós-guerra fria a importância dos blocos econômicos, com destaque para a União Europeia, o NAFTA e, agora cada vez mais, a APEC. Essas siglas e suas importâncias podem também surgir no -Enem, além, é claro, do Mercosul, bloco econômico do qual o Brasil é membro.

É preciso considerar, por último, o papel exercido pelas organizações internacionais, tais como a ONU (Organização das Nações Unidas), a OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) e, também, a OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte). Essa última exerceu uma certa influência e atuação em vários conflitos e tensões internacionais recentes, como as revoltas da Líbia e da Síria e a crise da Ucrânia. Por isso, o candidato não pode perder de vista a atuação dessas instituições e os seus significados históricos.

As teorias conspiratórias...

Gostaria de finalizar este texto com algumas teorias conspiratórias que existem sobre a Nova Ordem Mundial. Qualquer pesquisa com esse termo nos mecanismos de busca (Google, Bing, Yahoo, etc.) apontam vários sites e blogs com essa perspectiva. Basicamente, muitos acreditam que o mundo é vítima de uma conspiração internacional, envolvendo pessoas, iluminatis e essa coisa toda.

A dica é que, para o vestibular e para o -Enem, isso simplesmente não importa. Não estou dizendo que essas teorias estão certas ou erradas, mas como elas são especulações, não podem ser levadas em conta pelo candidato na hora da prova, sob o risco de um zero certo! Por exemplo: não interessa se os atentados de 11 de setembro tenham sido realizados pela Al-Qaeda ou pelo próprio governo dos EUA, o que interessa é a consequência disso para o panorama político internacional, o que é algo que o candidato precisa demonstrar conhecimento caso caia no exame.

Até a próxima, pessoal! Esse canal oferece mais dicas de Geografia para o Enem. Não percam!

Veja também

IFMS recebe inscrições de vagas remanescentes via Enem
A seleção será feita mediante a nota mais alta alcançada pelo candidato na prova do Enem dos anos de 2019, 2018 ou 2017.

2ª chamada do Vestibular de Inverno 2020 da PUC-Rio é liberada
Matrículas dos calouros são virtuais e seguem até 17 de agosto. Seleção foi realizada com o Enem.

Enem 2020: mais de 47 mil pessoas terão atendimento especializado nas provas
Inep, que organiza o exame educacional, explicou como será aplicação de provas para grávidas, lactantes, idosos, surdos, cegos, entre outros

Resultado do Vestibular 2020/2 de Enfermagem da Faculdade Einstein (SP) é divulgado
Candidatos aprovados estão recebendo por e-mail as orientações para a matrícula, que será ainda nesta semana.

Provas do Vestibular 2020/2 da URCA (CE) são adiadas por conta do coronavírus
Provas estavam agendadas para os próximos dias 15 e 16 de agosto em seis cidades do estado. Novo cronograma deve ser liberado em breve.

Resultado do Vestibular 2020/2 EaD da UEPG está disponível
Para participar, os concorrentes precisaram apresentar o histórico escolar do ensino médio. A seleção foi feita por meio de análise das notas e a classificação por ordem decrescente das notas. 

UFGD, no MS, muda cronograma do Vestibular 2021
Instituição fez alteração com o objetivo de diminuir risco de contaminação pelo coronavírus para os candidatos

Pré-vestibular gratuito 2020 em Limeira (SP) inscreve para turmas on-line
Oferta é de 500 vagas. Aulas serão ministradas pela Unicamp em salas virtuais.

No RS, UFPel recebe inscrições para Vestibular EaD 2020/2
Interessados nas mais de 800 vagas serão selecionados por meio de uma redação, que deverá ser produzida e enviada pela internet

UEL recebe pedidos de isenção e redução de taxa do Vestibular 2021
O benefício da isenção total ou desconto parcial vai depender da renda do candidato. Os estudantes deverão se inscrever entre os dias 14 de setembro a 30 de outubro.

UERJ divulga novo cronograma de reclassificações do Vestibular 2020
O calendário foi suspenso antes da matrícula dos aprovados na 2ª reclassificações em razão da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Fatecs (SP) divulgam resultado do Vestibular 2020/2
Devido a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) as matrículas deverão ser realizadas on-lin, através do link informado pelas Fatecs.