Logo Super Vestibular
Whatsapp icon Whatsapp
  1. Home
  2. Notícias
  3. Lei de Cotas completa um ano de implantação e alcança meta esperada para 2016

Lei de Cotas completa um ano de implantação e alcança meta esperada para 2016

Número de negros participando de processos seletivos e de programas do governo registrou crescimento depois da implantação da Lei.

Publicado por Érica Caetano
29/08/2013 08h06 , atualizado em 29/08/2013 08h06

O Ministro da Educação, Aloizio Mercadante, anunciou na tarde de ontem, 28 de agosto, o balanço de um ano da utilização da Lei nº 12.711, mais conhecida como política de cotas, completados nesta quinta-feira, dia 29. Segundo os dados apresentados por Mercadante, um terço das universidades federais e 83% dos institutos federais reservam 50% de suas vagas para a política de cotas. Esta meta era esperada somente para o ano de 2016.

De acordo com os dados apresentados nesta quarta-feira, do total de 141.953 vagas ofertadas nas universidades federais, 46.137 vagas foram para estudantes cotistas. O esperado era que em seu primeiro ano de implantação, a reserva fosse de 12,5% das vagas. No entanto, esse número foi batido. Nas universidades públicas federais ele chegou a 32,5% de todas as vagas oferecidas e nos institutos federais este índice foi de 44,2% de estudantes cotistas.

Entre as dez universidades federais com maior oferta de vagas para cotistas estão a Universidade Federal do Pará (UFPA), que reserva 4.284 das 8.569 vagas ofertadas. As universidades Federais de Mato Grosso (UFMT) e de Sergipe (UFSE) também integram a lista.

Para o ministro, a Lei de Cotas trouxe como consequência uma maior participação de estudantes negros em processos seletivos e em programas do governo. Tanto que o crescimento destes também aumentou no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Na edição de 2012, dos 5,7 milhões de inscritos, 3,1 milhões eram negros. Já no Enem 2013, dos 7,2 milhões de candidatos, 4 milhões são negros.

A edição de 2013 do Programa Universidade para Todos (ProUni) também ofertou 55,3% das bolsas de estudos em instituições particulares de educação superior para estudantes negros. Dos contratos firmados desde 2010 pelo Fies, 47,41% representam estudantes negros.

Segundo o Ministério da Educação (MEC), as diferenças entre as notas de corte de cotistas e não cotistas foi mínima. No Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do primeiro e do segundo semestre de 2013, a diferença das notas de corte em medicina foi 3,3%. Em Pedagogia, as diferenças foram 1,1% no primeiro semestre e 3,4% no segundo e, em licenciatura, 3,4% no primeiro semestre e 4,5% no segundo. Em todos os casos, os cotistas ainda têm a nota de corte inferior.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A diferença entre o desempenho dos egressos também diminuiu. O Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), exame aplicado no final do curso de graduação, mostra que a diferença entre as notas de cotistas e não cotistas diminuiu de 10,6% em 2008 para 2,3% em 2011.

Desde o começo do segundo semestre deste ano, os estudantes cotistas recebem mensalmente R$ 400. Os indígenas e quilombolas recebem uma bolsa de R$ 900. O benefício, no entanto, é limitado a estudantes matriculados em cursos com carga horária de no mínimo 5 horas diárias. Segundo Mercadante, serão R$ 650 milhões investidos em políticas de permanência em 2013.

Aloizio Mercadante também assinou duas novas portarias. A primeira institui uma comissão de acompanhamento da política de reserva de vagas nas instituições federais de Ensino Superior, com representantes das secretarias de Educação Superior e de Educação Profissional e Tecnológica, ambas do MEC, da Secretária de Políticas de Promoção da Igualdade Racial e da Fundação Nacional do Índio (Funai). A outra portaria institui a comissão consultiva da sociedade civil sobre a política de reserva de vagas nas instituições federais de educação superior.

A Lei nº 12.711/2012 ou Lei de Cotas estabelece que no mínimo 50% das vagas das instituições federais de educação superior deverão ser destinadas para estudantes que tenham cursado integralmente o Ensino Médio na rede pública, com implementação progressiva no prazo de quatro anos, 25% a cada ano; no mínimo 50% das vagas do Ensino Médio, técnico federal, deverão ser destinados a estudantes que cursaram integralmente o Ensino Fundamental na rede pública, com implementação progressiva no prazo de quatro anos, 25% a cada ano; e por fim, as vagas reservadas deverão ser preenchidas, por curso e turno, no mínimo na proporção de pretos, pardos e indígenas do último censo demográfico.

*com informações da Agência Brasil

Veja também

Pedidos de isenção no Enem 2024 já podem ser feitos
O prazo para solicitar isenção no Enem 2024 e fazer a prova de graça já começou
Enem 2024: pedidos de insenção da taxa podem ser solicitados a partir de hoje (15)
Prazo para solicitar isenção da taxa de inscrição do Enem 2024 segue aberto até 26 de abril
Enem 2024: pedido de isenção de taxa de inscrição começa nesta segunda-feira (15)
Também inicia hoje prazo para justificar ausência no Enem 2023. Pode participar quem ganhou o benefício mas não compareceu às provas.
Enem 2024: pedidos de isenção de taxa de inscrição começam amanhã (15)
Estudantes da rede pública ou com vulnerabilidade econômica podem fazer solicitação na Página do Participante
Resultado das vagas remanescentes do Vestibular 2024 da UEL é publicado
São mais de 400 vagas distribuídas entre 27 cursos de graduação
Inscrição para a Univesp 2024 encerra hoje (12)
Inicialmente, as inscrições encerrariam no dia 8 de abril, porém, foram prorrogadas
Fatec (SP) encerra pedidos de isenção de taxa do Vestibular 2024/2
Segundo as Faculdades de Tecnologia de São Paulo, serão concedidas 6 mil isenções aos estudantes
Isenção de taxa no Enem 2024 pode ser pedida a partir de segunda (15)
Ano passado, o MEC aprovou mais de 2 milhões solicitações de isenção de taxa no Enem 2023
PUC-Campinas recebe inscrição para Vestibular de Inverno 2024
Processo seletivo oferece 1.935 vagas em cursos de graduação das áreas de exatas, humanas e biológicas
Com mais de 2 mil vagas, UnB encerra inscrições do Vestibular 2024 via Enem hoje (11)
Inscrição para o Vestibular 2024 via Enem da Universidade de Brasília (UnB) é gratuita
Vestibular 2025 da UERJ: resultado da isenção da taxa do 1º Exame de Qualificação é divulgado
Inscrições para o 1º Exame de Qualificação do Vestibular 2025 da UERJ começam na próxima segunda-feira (15)
UEMA abre inscrição para Vestibular EaD 2024
Processo seletivo oferece mais de 1,1 mil vagas em cursos de tecnologia e Música