Logo Super Vestibular
  1. Home
  2. Ensino a distância
  3. Como saber se um curso EaD é reconhecido pelo MEC?

Como saber se um curso EaD é reconhecido pelo MEC?

Diploma com validade nacional só pode ser emitido pelas instituições após reconhecimento do curso.

Publicado por Wanja Borges
Regularidade de cursos e instituições pode ser conferida pela internet
Regularidade de cursos e instituições pode ser conferida pela internet

O Ensino a Distância (EaD) registrou mais de 5,8 milhões de matrículas só no ano de 2012, 52,5% a mais do que no ano anterior, segundo o Censo EaD.BR 2012, divulgado pela Associação Brasileira de Educação a Distância (Abed). Esta é só mais uma estatística que comprova o crescimento constante da modalidade de ensino no Brasil. 

Por outro lado, essa proliferação também têm acarretado prejuízos. Com o crescimento da demanda, instituições de ensino superior aumentaram, também, a oferta de cursos a distância, contudo, nem sempre com qualidade e, principalmente, reconhecimento do Ministério da Educação (MEC). Já são muitos os casos em que estudantes concluem o curso, mas não recebem um diploma válido por que a graduação não tem aprovação final do órgão. 

Para fugir desse problema, inicialmente, é preciso entender a diferença entre credenciamento, autorização e reconhecimento. Esses conceitos ainda geram dúvidas entre os jovens, que muitas vezes acabam caindo em golpes por falta de conhecimento. Faculdades, centros universitários e universidades precisam solicitar o credenciamento da instituição junto ao Ministério da Educação para iniciar suas atividades, contudo, somente após autorização do órgão é que a instituição de ensino superior pode ofertar um curso de graduação.

Vale ressaltar que as instituições de educação superior na modalidade a distância devem ser credenciadas para atuar nesta modalidade, especificamente, desde que ofereçam polos de apoio para as atividades presenciais. Além disso, apenas quando o curso de graduação cumprir de 50% a 75% da sua carga horária, é que a instituição pode solicitar o seu reconhecimento. Esta é a brecha que muitas faculdades aproveitam para atrair estudantes, já que grande parte deles acreditam que a solicitação já é garantia de aprovação do curso. 

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A questão é que este processo não é tão simples quanto parece. Para um curso ser reconhecido, além de cumprir as exigências estipuladas, ele precisa apresentar qualidade na sua organização didático-pedagógica, corpo docente, tutorial e infraestrutura. A avaliação é feita por uma comissão do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), que atribui conceito de 1 a 5 para indicadores de cada uma das três dimensões. 

A situação é um pouco diferente quando se trata dos cursos de graduação em Direito, Medicina, Odontologia e Psicologia, cujo reconhecimento deve ser submetido à manifestação do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil ou do Conselho Nacional de Saúde, respectivamente. É somente a partir deste reconhecimento que a instituição pode emitir diploma com validade nacional. 

Nos casos em que o parecer não é favorável, uma nova verificação pode ser solicitada em até um ano. Em situações mais extremas, o curso é fechado e os estudantes são transferidos para outra instituição de ensino para concluir o nível superior. Para não correr este risco, vestibulandos de todo o país podem solicitar o catálogo das condições de oferta dos cursos, divulgados anualmente pelas próprias instituições. 

Outra opção é acessar o e-MEC, sistema eletrônico do Ministério Educação que apresenta todos os pedidos de credenciamento de instituições e autorização ou reconhecimento de cursos. Até o momento, 1.881 cursos a distância estão listados na plataforma. Destes, 1.537 encontram-se em atividade, 109 em extinção e 235 já foram extintos. O ideal é que esta conferência seja feita antes do estudante dar início à sua graduação. Esta é a única forma de evitar problemas futuros. 

Veja também

PUCRS recebe inscrições do Vestibular de Inverno 2020 via Enem até este domingo (31)
A taxa é de R$ 30 para os que concorrerem pela prova e de R$ 20 para quem optar pelas notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

UPF recebe inscrições do Vestibular de Inverno 2020
Candidatos poderão optar por utilizar as provas do Enem ou realizar provas on-line. Para o curso de Medicina, a seleção se dará exclusivamente pela nota da prova do Enem.

UPE adia SSA para 2021 devido à pandemia do novo coronavírus
A ideia é que as inscrições sejam realizadas no próximo mês de julho ou agosto. Contudo, as provas só ocorrerão em 2021.

Enem 2020 registra mais de 6,1 milhões de inscrições
No entanto, número pode diminuir, pois também foram contabilizados estudantes que ainda não pagaram taxa. Prazo para pagamento encerra hoje.

Hoje é o último dia para pagar taxa de inscrição do Enem 2020
Inscritos podem fazer o pagamento em agências bancárias, casas lotéricas, agências dos Correios e internet banking

Inscrições do Enem 2020 são encerradas após prazo prorrogado
Inep informou que candidatos poderão se inscrever com outro documento, como o CPF, na ausência do RG.

Inep publica Manual de Correção da Redação do Enem
Material detalha, por exemplo, o que leva estudantes a tirarem nota zero e competências seguidas pelos avaliadores para corrigir o texto

Emescam (ES) inscreve para Vestibular 2020/2 de Medicina via Enem
Interessados nas 70 vagas serão avaliados pelas notas das edições de 2018 ou 2019 do exame educacional

ESPM prorroga inscrições para Vestibular 2020/2 via Enem
Candidatos vão concorrer a 256 vagas nas unidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre

SiSU: cursos EaD também serão oferecidos
Até a última edição do Sistema de Seleção Unificada somente eram disponibilizados cursos presenciais

USCS (SP) cancela provas para Medicina e fará seleção via Enem
Processo seletivo que seria organizado pela Vunesp foi cancelado e vagas do vestibular serão ofertadas via Enem

Inscrições do Enem 2020 são prorrogadas
Datas de aplicação das provas do Enem 2020 impresso e digital foram adiadas de 30 a 60 dias em relação às datas que foram divulgadas nos editais.