Logo Super Vestibular

Dicas sobre Escravidão no Brasil para o Enem

As dicas sobre Escravidão no Brasil para o Enem devem levar em conta o contexto da economia açucareira, bem como a análise da situação dos negros no Brasil.

Publicado por Cláudio Fernandes
O tráfico de escravos africanos era tão lucrativo quanto a economia açucareira
O tráfico de escravos africanos era tão lucrativo quanto a economia açucareira

Olá pessoal, tudo bem?

No texto de hoje apresentaremos a vocês algumas dicas sobre o tema da Escravidão no Brasil para o Enem, bem como faremos a análise de uma questão de 2012 referente a esse tema.

O tema da Escravidão no Brasil vem sendo abordado nas provas do Enem de variadas formas, e é preciso ficar atento a estas abordagens. Para tanto, é preciso também conhecer bem as características da colonização brasileira, operada pelos portugueses, sobretudo a partir da década de 1540, e a montagem da estrutura da economia açucareira no Nordeste do Brasil, que se valeu da mão de obra escrava negra.

Como se sabe, ao contrário da Espanha, que encontrou metais preciosos na América Central logo no início de sua colonização, Portugal só se dedicou efetivamente à extração de minérios a partir do século XVIII. Antes disso, a extração de pau-brasil e, sobretudo, a montagem da sociedade estruturada em torno da produção e comercialização de açúcar, tornaram-se o motor na economia da colônia. A figura do escravo negro passou a integrar, neste período, o cenário da sociedade açucareira, já que a escravidão dos índios nativos não era tão lucrativa quanto à comercialização de escravos trazidos da África, que, em grande parte, eram vendidos pelos próprios reinos Africanos.

Além disso, um dos pontos que acentuam as diferenças entre escravidão indígena e escravidão africana é o fato de que os colonos que viviam no Brasil tiveram que se submeter ao esquema mercantil do tráfico negreiro internacional, que era controlado pela metrópole portuguesa. Soma-se a isso o fato de que havia uma grande diferença entre os diferentes tipos de escravos no Brasil, que eram provenientes de várias regiões da África como dos reinos do Congo, Benin e Mali.

A questão do Enem de 2012, que analisamos aqui, está no caderno azul 1, número 40, e refere-se estritamente à situação dos negros no período do Brasil Colonial. A questão está estruturada a partir de um trecho extraído de um dos Sermões do padre Antônio Vieira, jesuíta, um dos principais oradores e escritores do período colonial brasileiro, e exige que o candidato assinale a alternativa que esteja relacionada ao que está descrito no texto de Vieira. Veja abaixo (a alternativa correta está marcada na cor verde):

A questão acima aborda a Escravidão no Brasil a partir de um texto do padre Antônio Vieira
A questão acima aborda a Escravidão no Brasil a partir de um texto do padre Antônio Vieira

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Perceba que o trecho do Padre Vieira traça uma comparação entre a Paixão de Cristo, isto é, o período de sofrimento e morte por crucificação de Jesus Cristo, segundo a tradição cristã, e o sofrimento dos escravos que trabalhavam nos engenhos de açúcar no período colonial brasileiro. Vieira estabelece um paralelo entre a cruz de Cristo e o tronco no qual os escravos ficavam aprisionados, bem como compara também os ferros, os açoites e todo o processo da Paixão até a morte de Jesus. Por fim sugere que, do mesmo modo que Cristo padeceu martirizado, os escravos, por seu sofrimento também padecerão merecendo o martírio.

É necessário interpretar bem o texto e perceber a intenção da questão. Este é um tipo de questão cujas alternativas não geram ambiguidades e é razoavelmente fácil de ser respondida se o texto for bem lido e compreendido. Repare que das cinco alternativas, as letras A, B e D, apesar de se referirem a aspectos corretos do contexto da economia açucareira, não possuem nenhuma conexão com o conteúdo do texto de Vieira. Tratam apenas da posição dos senhores de engenho, comerciantes, administradores, etc., e não da situação dos escravos.

Já a letra C refere-se aos padres jesuítas, ordem da qual fazia parte Antônio Vieira, e que desde o começo da colonização estiveram sempre presentes em terras brasileiras, porém a alternativa se restringe a sugerir um suposto “sofrimento dos jesuítas na conversão dos ameríndios (isto é, os nativos indígenas).” Sendo assim, não há referência explícita ao conteúdo do texto de Vieira, também. A alternativa correta, a letra E, é a única que se refere explicitamente aos escravos (ainda que não especifique que se trata de escravos negros e não de indígenas) e, precisamente, “ao trabalho dos escravos na produção de açúcar” - especificando o contexto do texto de Vieira.

É isso aí, pessoal. É preciso ficar muito atento aos textos explorados nas questões do Enem. Nem sempre as alternativas são simples. Uma leitura superficial pode gerar confusão e a consequente marcação de uma alternativa incorreta. Uma boa preparação paras as provas de Ciências Humanas do Enem requer leitura atenta e profunda.

Bons Estudos!

Veja também

Estão abertas as inscrições do Vestibular 2021/1 da UVV
As inscrições poderão ser realizadas via internet ou de forma presencial, na Central de Relacionamento com Aluno (CRA), na UVV-ES de Vila Velha.

São Paulo: abertas inscrições para Vestibular 2021/1 de Medicina da USCS
vestibular ocorrerá em uma única fase, marcada para o dia 23 de novembro, das 14h às 17h30.

IFSC publica resultado da seleção de vagas remanescentes 2020/2
Aprovados deverão enviar documentação para matrícula por e-mail. As aulas serão a distância no início do curso.

Cadastro de foto dos inscritos do Enem 2020 deve ser feito até 1º de outubro
Aqueles que já cadastraram a foto mas quiserem alterar também poderão fazer o upload. O cadastro é obrigatório a partir desta edição.

Vestibular 2020/2 via Enem do IFSP está com inscrições abertas
Para participar é preciso ter feito o Enem entre os anos de 2015 e 2019 tirando nota acima de zero na redação.

Já estão abertas as inscrições para corretores de redação do Enem 2020
Para se cadastrar é preciso ter graduação na área de Letras/Língua Portuguesa ou Linguística. Prazo encerra em 05 de outubro.

Inscrições para o Vestibular 2021 da UFGD já podem ser feitas
Os interessados em concorrer uma das 982 vagas em 33 cursos de graduação, nas modalidades presencial (32 cursos) e a distância (Letras-Libras), podem se inscrever até às 17h do dia 20 de novembro.

Vestibular de Verão 2021 do IFSul (RS) é adiado por conta da pandemia
O Vestibular de Verão do IFSul acontece geralmente no mês de dezembro e será adiado para evitar a aglomeração de pessoas.

UPE prorroga inscrições do SSA 2021
Prazo seria encerrado ontem, dia 20 mas foi prorrogado até o final do mês.

Faculdade Santa Casa de SP recebe inscrições do Vestibular 2021
A taxa custa R$ 300 (R$ 120 Cotas Sociais) para o curso de Medicina, R$ 50 para os cursos de Enfermagem e Fonoaudiologia e R$ 30 para os cursos tecnológicos.

Resultado dos pedidos de isenção do Vestibular 2021 da UERJ é divulgado
As solicitações foram recebidas no mês de março, quando o calendário da seletiva ainda não havia sido suspenso por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

ITA prorroga inscrições para Vestibular 2021
Primeira fase está marcada para dia 20 de novembro e segunda, para dias 8 e 9 de dezembro