Logo Super Vestibular

Abordagens sobre Música de Protesto no Enem

Neste texto são oferecidas indicações de abordagens possíveis sobre o tema Música de Protesto no Enem.

Publicado por Cláudio Fernandes
Fachada do edifício onde era apresentado o Show Opinião*
Fachada do edifício onde era apresentado o Show Opinião*

Olá, pessoal! Tudo certo?

Trazemos, no texto de hoje, algumas dicas sobre as abordagens que o Enem geralmente faz sobre o período da Ditadura Militar brasileira, enfocando aspectos culturais, como a arte, sobretudo a música popular. Trazemos também a análise de uma questão do Enem de 2010 que apresentou em sua estrutura uma canção do músico Zé Ketti, membro do Grupo Opinião – que protestava contra a ditadura através da arte.

Desde os anos 1950, com o desenvolvimento da Bossa Nova, no Rio de Janeiro, em torno das figuras de Antônio Carlos Jobim, Vinicius de Moraes e João Gilberto, a música popular brasileira começou a destacar-se internacionalmente e a assumir grandes proporções de divulgação tanto fora quanto dentro do país. Na década de 1960, muitos jovens músicos renovaram a música popular, articulando-se com seus antigos representantes – tais como os velhos sambistas cariocas, geralmente associados às escolas de samba carnavalescas.

Esses mesmos jovens também participaram de festivais de música, os quais foram responsáveis pela disseminação da sigla MPB (Música Popular Brasileira). Nomes como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Geraldo Vandré, Chico Buarque de Holanda, entre outros, figuraram entre tais jovens. O auge desses festivais ocorreu nos anos de 1967 e 1968, momento em que a Ditadura Militar, que já vigorava desde 1964, passava para sua fase mais autoritária e truculenta, a partir do governo do general Costa e Silva.

Nesse momento, o gênero de canção de protesto, isto é, canções abertamente críticas ao regime político vigente, começaram a ter um papel importante na contestação da ditadura. Algumas delas, como “Para não dizer que não falei das flores”, de Geraldo Vandré, tornaram-se verdadeiros hinos que eram cantados nas manifestações de rua. Outras músicas de protesto também se tornaram notórias, como “Apesar de Você”, de Chico Buarque de Holanda, e “Metrô linha 743”, de Raul Seixas. O Movimento Tropicalista, liderado por Caetano Veloso e Gilberto Gil, também fez o seu protesto contra a Ditadura, mas sem o caráter explícito das canções de Vandré e com uma proposta estética mais complexa.

Entre essas manifestações musicais, o Grupo Opinião ganhou destaque. Formado em 1964 (ano do Golpe Militar) pelo sambista carioca Ze Ketti, por João do Vale — músico maranhense representante do forró e do xote — e por Nara Leão, nascida no Espírito Santo, mas radicada no Rio de Janeiro, e representante da bossa nova, esse grupo tinha a proposta de levar a conscientização política para as camadas populares da sociedade através da música e do teatro. O Grupo Opinião contava com o apoio do CPC, Centro Popular de Cultura, do qual participavam artistas como Ferreira Gullar e Augusto Boal. Esse último dirigiu o famoso espetáculo do grupo, intitulado Show Opinião.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Pois bem, na prova do Enem de 2010, houve uma questão que abordou exatamente o Grupo Opinião. Passemos então à questão, que pode ser vista a seguir. A alternativa correta está marcada na cor verde.

Questão do Enem retirada do caderno azul, número 1, de 2010, que aborda o tema da música de protesto
Questão do Enem retirada do caderno azul, número 1, de 2010, que aborda o tema da música de protesto

Perceba que a questão estrutura-se a partir da letra de uma canção de Zé Ketti intitulada Opinião. Após apresentar a letra, a questão exige que o candidato aponte para a alternativa que destaque o papel exercido pela MPB (Música Popular Brasileira) no período apontado. Pois bem, o próprio texto da questão faz referência ao espetáculo teatral no qual a música foi apresentada – espetáculo esse que abordamos acima, o Show Opinião, que teve seu início em 1964.

Há, nesse ponto, uma exigência indispensável ao candidato: saber o contexto da história brasileira contemporânea ou, mais especificamente, saber o que começou em 1964, isto é, o governo militar. Os estudos dos conteúdos de História para realizar a prova do Enem são indispensáveis, ainda que as questões não exijam um conhecimento detalhado dos fatos. Lendo atentamente a letra da música, percebe-se que seu conteúdo, tanto quanto o contexto referido, aponta para o gênero da música de protesto ao qual nos referimos acima. A alternativa D, que está correta, é a única que sugere isso, com a frase: “denúncia da situação social e política do país”.

É isso aí!

Bons Estudos!!!

* Créditos de imagem: Fundação Dinarco Reis - PCB

Veja também

Estão abertas as inscrições do Vestibular 2021/1 da UVV
As inscrições poderão ser realizadas via internet ou de forma presencial, na Central de Relacionamento com Aluno (CRA), na UVV-ES de Vila Velha.

São Paulo: abertas inscrições para Vestibular 2021/1 de Medicina da USCS
vestibular ocorrerá em uma única fase, marcada para o dia 23 de novembro, das 14h às 17h30.

IFSC publica resultado da seleção de vagas remanescentes 2020/2
Aprovados deverão enviar documentação para matrícula por e-mail. As aulas serão a distância no início do curso.

Cadastro de foto dos inscritos do Enem 2020 deve ser feito até 1º de outubro
Aqueles que já cadastraram a foto mas quiserem alterar também poderão fazer o upload. O cadastro é obrigatório a partir desta edição.

Vestibular 2020/2 via Enem do IFSP está com inscrições abertas
Para participar é preciso ter feito o Enem entre os anos de 2015 e 2019 tirando nota acima de zero na redação.

Já estão abertas as inscrições para corretores de redação do Enem 2020
Para se cadastrar é preciso ter graduação na área de Letras/Língua Portuguesa ou Linguística. Prazo encerra em 05 de outubro.

Inscrições para o Vestibular 2021 da UFGD já podem ser feitas
Os interessados em concorrer uma das 982 vagas em 33 cursos de graduação, nas modalidades presencial (32 cursos) e a distância (Letras-Libras), podem se inscrever até às 17h do dia 20 de novembro.

Vestibular de Verão 2021 do IFSul (RS) é adiado por conta da pandemia
O Vestibular de Verão do IFSul acontece geralmente no mês de dezembro e será adiado para evitar a aglomeração de pessoas.

UPE prorroga inscrições do SSA 2021
Prazo seria encerrado ontem, dia 20 mas foi prorrogado até o final do mês.

Faculdade Santa Casa de SP recebe inscrições do Vestibular 2021
A taxa custa R$ 300 (R$ 120 Cotas Sociais) para o curso de Medicina, R$ 50 para os cursos de Enfermagem e Fonoaudiologia e R$ 30 para os cursos tecnológicos.

Resultado dos pedidos de isenção do Vestibular 2021 da UERJ é divulgado
As solicitações foram recebidas no mês de março, quando o calendário da seletiva ainda não havia sido suspenso por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

ITA prorroga inscrições para Vestibular 2021
Primeira fase está marcada para dia 20 de novembro e segunda, para dias 8 e 9 de dezembro