Logo Super Vestibular

Dicas sobre História da África para o Enem

É importante ficar por dentro das formas de abordagem da História da África no Enem e das formas como as provas de ciências humanas são pensadas.

Publicado por Cláudio Fernandes
O estudo da História da África pode ser decisivo para um bom desempenho no Enem
O estudo da História da África pode ser decisivo para um bom desempenho no Enem

Como vai, pessoal? Tudo certo?! Aqui vai uma dica sobre a importância da História da África para se fazer as provas do Enem. Mas, antes disso, vamos compreender um pouco como funciona a composição das provas para a área de ciências humanas.

As provas do Enem são fundamentadas nas diretrizes dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs), que organizam as disciplinas escolares em grandes áreas, com competências e habilidades específicas. Sendo assim, a disciplina de História está dentro da grande área intitulada “Ciências humanas e suas tecnologias”, na qual também se enquadram a Sociologia, a Filosofia e a Geografia. O Enem geralmente constrói as questões dessa área mesclando temas das disciplinas citadas. Mas, também, muitas questões trazem temas de disciplinas de outras grandes áreas, como aquelas da área intitulada “Ciências da Natureza e suas tecnologias”. Dessa forma, no Enem nunca há questões elaboradas de forma muito limitada a uma só disciplina. Então, é necessário ficar ligado na interdisciplinaridade, isto é: a relação entre temas das disciplinas de uma ou mais dessas grandes áreas.

Outro ponto importante para saber como funciona o Enem, e para compreender o porquê de a História da África ter tanto peso nas provas, é ter em vista que tipo de competências e de habilidades se espera da História. A História, assim como as outras disciplinas da área “Ciências Humanas e suas tecnologias”, pode desenvolver nos estudantes, segundo os PCNs, competências relacionadas à compreensão e interpretação dos problemas socioculturais e políticos, bem como da formação de instituições e de identidades nacionais, e também da memória coletiva e individual. Espera-se, também, que, com o estudo da História, o aluno possa desenvolver habilidades que o orientem no exercício da cidadania e na convivência social. O respeito mútuo, a conscientização democrática, a luta por direitos, a tolerância e compreensão das diferenças, seja de gênero, de cor ou raça, são alguns dos objetivos buscados pelo desenvolvimento dessas habilidades e competências.

Sabemos que fenômenos como o racismo, ou preconceitos de cor, ainda são corriqueiros nas mais diversas regiões do mundo. No caso específico do continente americano, esse fenômeno é majoritariamente direcionado contra as pessoas de pele negra, ou afrodescendentes. Nos Estados Unidos e no Brasil, que foram nações escravagistas no passado, esse tipo de preconceito é acentuado, ainda que de formas diferentes. O estudo da História da África, portanto, torna-se importante nesse contexto, pois pode estimular, por exemplo, a conscientização sobre o caráter criminoso e nocivo do racismo a partir do momento em que o estudante compreende melhor o processo histórico que se desenrolou no continente africano. Desse processo histórico, vários assuntos devem ser estudados com atenção para a prova do Enem. Os principais podem ser acessados nos seguintes links: África, As duas Áfricas, Descolonização da África, Início da colonização na África e Imperialismo na África.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Na prova do Enem de 2013, uma das questões relacionadas à África foi a de número 18, que pode ser lida na página 6 do caderno l, de cor azul. Veja abaixo a questão, com a alternativa correta marcada na cor verde:

Questão do Enem de 2013 sobre a representação pejorativa feita pelo cinema a respeito da África
Questão do Enem de 2013 sobre a representação pejorativa feita pelo cinema a respeito da África

Você percebe que a questão aborda a representação pejorativa e reducionista que o cinema faz da África, seja em filmes convencionais ou animações (como o exemplo dado no texto: “O Rei Leão”, da Disney). O texto de Leibowitz, reproduzido na questão, torna evidente o quão prejudicial essa perspectiva sobre a África pode ser para alguém que não conhece bem o seu processo histórico; sobretudo por acentuar que a exploração de temas clichês, como “tribos doidas” e “rituais”, está relacionada com o sucesso de bilheteria desses filmes.

O trecho da questão que comenta o texto de Leibowitz já deixa clara uma das preocupações dos PCNs: a da “constituição de uma memória”, especificamente, uma “memória da África e seus habitantes”, neste caso, construída pelo cinema. Ao fim da questão, pede-se para apontar dois aspectos enfatizados e negligenciados pelo cinema, no que se refere à construção dessa memória sobre a África. Os temas clichês apontados pelo texto, já citados (“tribos doidas” e “rituais”), apontam para a alternativa “B”, pois o desconhecimento da história e das culturas africanas produzem uma imagem, ou uma memória, exótica e, muitas vezes, irreal do continente.

Outro ponto a se destacar com relação à importância de estudo da História da África é a relação entre a cultura africana e a formação do Brasil. Várias questões do Enem podem ser elaboradas a partir disso. Um dos temas que pode ser explorado é o da democracia racial, por envolver questões que interessam o Enem, como identidade, memória e conscientização política. No Brasil, desde 2003, o ensino de História da África é obrigatório. Isso torna evidente a preocupação com o conhecimento e compreensão da importância das culturas africanas com a formação do país.

Bons estudos!

Assista às nossas videoaulas

Veja também

Unifor inscreve para o Vestibular 2021/1 para Medicina e demais cursos
O curso de Medicina terá seleção somente por prova presencial e receberá inscrições até 13 de novembro. E os demais cursos têm três possibilidades de avaliação.

Prevupe (PE) oferta aulas gratuitas on-line para as provas do Enem 2020
Por conta do distanciamento imposto pelo coronavírus, as aulas também serão ofertadas no formato digital.

IFPE altera Vestibular 2021 por conta da pandemia do novo coronavírus
Ainda não foi divulgado nenhum cronograma mas todos os detalhes do próximo processo de ingresso serão anunciados até o final deste ano.

IME divulga resultado da 1ª fase do Vestibular 2021
Candidatos fizeram as provas dia 11 de outubro em 18 cidades brasileiras. Próxima etapa começa em 26 de outubro.

UFVJM, em Minas Gerais, adia cronograma do SASI 2020
Instituição decidiu realizar provas posteriormente em razão da pandemia do coronavírus

Minas Gerais: UFJF abre inscrições para Vestibular EaD 2020
Processo seletivo oferece 440 vagas nos cursos de licenciatura em Pedagogia e Computação

UVPR prorroga inscrições do Vestibular EaD 2020
Os interessados em participar devem se inscrever exclusivamente pela internet até dia 5 de novembro

Edital do Vestibular 2020/2021 da UFPR é publicado
Provas somente serão aplicadas no ano que vem, nos meses de fevereiro e abril

PUC-SP está com inscrições abertas para Vestibular de Verão 2021
Processo seletivo ocorrerá no dia 6 de dezembro. Provas serão aplicadas pela internet.

Unifesp recebe inscrições do Vestibular Misto 2021
O Vestibular Misto é exclusivo para aqueles que tenham feito as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, uma vez que as provas serão utilizadas pela Unifesp como parte da seleção.

UECE encerra inscrições do Vestibular 2020/2
O segundo período de inscrições do Vestibular 2020/2 veio após a definição diante do quadro da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Aqueles candidatos que já se inscreveram no Vestibular e não puderem pagar a taxa de inscrição, poderão gerar novo boleto e efetuar o pagamento.

Inscrições do Vestibular 2021 da Unimep (SP) são recebidas
Estão sendo oferecidas oportunidades em 43 cursos presenciais e 32 de ensino a distância (EaD). As vagas são para as cidades de Lins, Piracicaba e Santa Bárbara d’Oeste.