Logo Super Vestibular

Engenharia Biomédica

Engenheiro biomédico alia conhecimentos da engenharia com a área de ciências médicas

Publicado por Silvia Tancredi
O engenheiro biomédico desenvolve aparelhos que ajudam a identificar problemas físicos
O engenheiro biomédico desenvolve aparelhos que ajudam a identificar problemas físicos

Anteriormente, para ser especialista na área de Engenharia Biomédica era preciso fazer pós-graduação. Em meados dos anos 2000, surgiram os primeiros cursos de graduação, com destaque para os oferecidos pelas universidades federais do Rio de Janeiro (UFRJ), Uberlândia (UFU) e Pernambuco (UFPE).

Para se dar bem no curso e na profissão, o estudante de Engenharia Biomédica precisa ter interesse tanto na área de engenharia quanto na médica. Deve conhecer bem o corpo humano e os seus movimentos para poder criar e desenvolver equipamentos que ajudem a diagnosticar e tratar de problemas físicos. 

Os engenheiros biomédicos podem atuar em hospitais, clínicas, empresas de biotecnologia, entre outras. Também podem atuar em órgãos públicos e seguir carreira acadêmica. 

Público-alvo

O curso de Engenharia Biomédica é voltado para estudantes que gostam das áreas de engenharia e médica. Também é necessário ser curioso, criativo e inovador, conduzir experimentos com propriedade, ter comunicação eficiente, saber trabalhar em equipe, ter capacidade de raciocínio rápido e habilidade para resolver problemas, em especial os ligados à área de engenharia de ciências médicas. 

Além dessas características, é fundamental que o aluno tenha interesse no corpo humano e nos seus movimentos. 

O curso

Nos primeiros anos, os alunos têm aulas de disciplinas mais básicas, como física, química, álgebra, computação e expressão gráfica. Vale destacar que também é ministrada a matéria de anatomia humana. 

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Nos anos seguintes, há disciplinas mais específicas, como circuitos elétricos, engenharia de software, biofísica, eletrônica digital, instalações elétricas, etc. 

Os estudantes veem, ainda, matérias mais práticas como biomateriais e próteses, metrologia em saúde, engenharia clínica, imagens médicas e interface homem-máquina em saúde. Nos dois últimos períodos, os alunos fazem o trabalho de conclusão de curso e passam por estágio obrigatório.    

Duração média

O curso de Engenharia Biomédica normalmente dura cinco anos ou dez períodos, dependendo da instituição. 

Mercado de trabalho

Como o curso é relativamente novo, o mercado de trabalho é carente de profissionais da área. Normalmente, os engenheiros biomédicos atuam projetando, desenvolvendo e montando equipamentos e instrumentos médicos, biomédicos e odontológicos, os quais são usados para diagnosticar doenças ou para realizar tratamento terapêutico. 

Os profissionais da área podem atuar ainda na criação e desenvolvimento de softwares e equipamentos eletrônicos que dão suporte aos profissionais da área de saúde. 

Como o engenheiro biomédico tem conhecimento de como é o ambiente e a logística de hospitais, clínicas e outros centros de saúde, pode atuar no gerenciamento e compra de equipamentos médicos mais eficazes. O profissional pode atuar também em pesquisas na área. 

Formas de atuação

O engenheiro biomédico pode trabalhar em hospitais, clínicas, laboratórios, empresas prestadoras de serviços, indústrias, centros de pesquisas, empresas de biotecnologia, empresas de consultoria, entre outras. 

Veja também

Inep informa datas das provas do Enem 2020
Notas do exame educacional podem ser usadas para ingressar em cursos superiores

Faculdade Albert Einstein adia provas do Vestibular 2020/2 de Enfermagem
Contudo, as inscrições seguem aberta e serão encerradas em até 15 dias anteriores à nova data das provas, ainda a ser divulgada.

Acafe (SC) solta resultado do Vestibular de Inverno 2020
O processo seletivo desta edição não foi presencial por causa da pandemia do coronavírus. Os candidatos somente foram avaliados pela internet.

Coronavírus: UFT cancela Vestibular 2020/2
Apesar do cancelamento do Vestibular 2020/2, a UFT está com inscrições abertas para o preenchimento de vagas por meio do SiSU, até a próxima sexta-feira, dia 10.

São Paulo: inscrições para Vestibular 2020/2 das Fatecs começam hoje (8)
Por causa da pandemia do coronavírus, candidatos serão avaliados por análise de notas do histórico escolar

MEC abre prazo para consulta de bolsas do ProUni 2020/2
Para participar do programa, é necessário ter feito o Enem 2019. Inscrições começam dia 14 de julho.

Unicamp encerra prazo para pedir isenção de taxa do Vestibular 2021
Conforme cronograma, lista com nomes dos contemplados com a isenção da taxa será divulgada no dia 27 de julho

Unemat não fará Vestibular 2020/2 e selecionará via Enem
A Unemat utilizará as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) das edições de 2017, 2018 e 2019 ao invés do seu tradicional vestibular.

Estão abertas as inscrições do Vestibulinho 2020/2 das Etecs
Interessados em participar podem se inscrever até o dia 21 de julho e a forma de seleção será por meio de análise do histórico escolar.

Inscrições para SiSU 2020/2 já podem ser feitas
Nesta edição, são oferecidas 51.800 vagas em 57 instituições públicas de ensino superior

Saiba como são realizados vestibulares na pandemia do coronavírus
Enquanto algumas instituições resolveram usar notas do Enem, outras criaram vestibulares pela internet

UniRV de Goianésia libera resultado do Vestibular 2020/2 de Medicina
Selecionados para as 60 vagas devem fazer registro acadêmico de amanhã (7) até a próxima quinta-feira, 9 de julho