Logo Super Vestibular

Engenharia Eletrônica

Engenharia eletrônica atua sob os microaspectos de controle, automação e telecomunicação da energia elétrica.

Publicado por Wanja Borges
Engenheiro eletrônico lida com placas, transistores e circuitos encontrados em computadores e aparelhos similares
Engenheiro eletrônico lida com placas, transistores e circuitos encontrados em computadores e aparelhos similares

Apesar de ser vista muitas vezes como uma subdivisão da Engenharia Elétrica, a Engenharia Eletrônica é um segmento que vem ganhando espaço em grandes instituições de ensino do país e no mercado de trabalho. O termo ganhou destaque nos anos 50, após o surgimento do transistor, em 1948 e, três anos depois, o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) já instituía o primeiro curso de graduação em Engenharia Eletrônica do Brasil.

Com formação generalista e base sólida em exatas, o profissional graduado em Engenharia Eletrônica lida, resumidamente, com a eletricidade em escalas e potências menores. Sua atuação é pautada, prioritariamente, na projeção, desenvolvimento, instalação, operação, manutenção e gerenciamento de sistemas, componentes, dispositivos e/ou equipamentos eletroeletrônicos, a exemplo de placas, transistores e circuitos encontrados em aparelhos de rádio, TV, vídeo, computadores, etc.

Público-alvo

Além de gostar e ter facilidade com disciplinas da área de exatas, os estudantes que desejam ingressar neste curso devem, acima de tudo, ter espírito inovador, interesse e curiosidade pelo desenvolvimento e/ou implantação de novas tecnologias de serviços e produtos.

O curso

Os primeiros semestres do curso de bacharelado em Engenharia Eletrônica são compostos por disciplinas do núcleo básico da Engenharia, como cálculo, física, álgebra e química, e também temas introdutórios ao segmento, a exemplo de algoritmos e programação de computadores. 

No decorrer do curso, os estudantes também se deparam com métodos numéricos, eletromagnetismo, circuitos e dispositivos eletrônicos, eletrônica digital e analógica, eletricidade e, ainda, humanidades, cidadania, ética e comunicação, além de outras modalidades de engenharia, como elétrica, civil, ambiental e mecânica.

Duração média

Bacharelado – 10 semestres

Mercado de Trabalho

O mercado de trabalho para o engenheiro eletrônico está em constante ascensão, principalmente em decorrência do avanço da tecnologia, do desenvolvimento da economia e da crescente utilização de tecnologias de informação e comunicação. Vale ressaltar, ainda, que a abrangência da sua formação permite o exercício da profissão em diferentes áreas e segmentos.

Formas de atuação

O profissional graduado em Engenharia Eletrônica está apto a atuar com técnicas computacionais em empresas privadas, indústrias, laboratórios de pesquisa, instituições de ensino, setores da construção naval, química, de petróleo e gás e serviço público, seja por meio dos serviços de consultoria e assessoramento, desenvolvimento de produtos e serviços tecnológicos e/ou estudos de viabilidade técnico-econômica, bem como na execução e fiscalização de obras e serviços técnicos, vistorias e perícias e/ou emissão de laudos e pareceres.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Campos de atuação

Área industrial
(desenvolvimento de circuitos eletrônicos e componentes eletroeletrônicos; projeção de equipamentos destinados à automação de linhas de produção industrial)

Biomedicina
(desenvolvimento, instalação e manutenção de equipamentos biomédicos, dispositivos e componentes odonto médico hospitalares e de instrumentação biomédica)

Biotecnologia
(análise de sinais biológicos por meio de técnicas de processamento de sinais)

Concessionárias de energia
(projeção, manutenção e instalação industrial, comercial e predial ligado à energia)

Instrumentação e microeletrônica
(projeção e desenvolvimento de circuitos integrados para sistemas e de equipamentos para realização de medidas, registro de dados e atuadores)

Mercado de ações
(previsão de séries financeiras por meio de técnicas de estimação de sinais)

Multinacionais
(desenvolvimento e teste de novos produtos; participação de processos de gestão internos)

Telecomunicações
(projeção e construção de equipamentos e desenvolvimento de serviços de expansão de telefonia e de transmissão de dados por imagem e som)

Tecnologia da informação
(desenvolvimento de softwares e atuação com computadores, periféricos e sistemas embarcados)

Regulamentação da profissão

Lei nº 5.194, de 24 de dezembro de 1966
Resolução CNE/CES 11, de 11 de março de 2002

Quantidade média de profissionais

Conforme dados de junho de 2017 do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), cerca de 5,6 mil profissionais possuem o título de engenheiros em eletrônica e 10 mil são engenheiros eletricistas na modalidade eletrônica.

Remuneração média

A média salarial no Brasil é de R$ 6.138,25, segundo a Catho.

Exigências para exercício da profissão

Diploma de conclusão de curso de bacharelado em Engenharia Eletrônica;
Habilitação legal - Registro Profissional no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA) do estado onde atua.

A opinião de quem entende

O Super Vestibular quer saber como é a sua experiência como engenheiro eletrônico ou estudante da área. Conte-nos!

Veja também

Emescam (ES) inscreve para Vestibular 2020/2 de Medicina via Enem
Interessados nas 70 vagas serão avaliados pelas notas das edições de 2018 ou 2019 do exame educacional

ESPM prorroga inscrições para Vestibular 2020/2 via Enem
Candidatos vão concorrer a 256 vagas nas unidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre

SiSU: cursos EaD também serão oferecidos
Até a última edição do Sistema de Seleção Unificada somente eram disponibilizados cursos presenciais

USCS (SP) cancela provas para Medicina e fará seleção via Enem
Processo seletivo que seria organizado pela Vunesp foi cancelado e vagas do vestibular serão ofertadas via Enem

Inscrições do Enem 2020 são prorrogadas
Datas de aplicação das provas do Enem 2020 impresso e digital foram adiadas de 30 a 60 dias em relação às datas que foram divulgadas nos editais.

UFRGS adia Vestibular 2021 por conta da pandemia do novo coronavírus
As provas do Vestibular 2021 da UFRGS estavam previsto de acontecerem nos dias 28 e 29 de novembro e 05 e 06 de dezembro.

UFPR anuncia adiamento do Vestibular 2020/2021 em razão do novo coronavírus
Medida foi tomada pelas condições em decorrência da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Com isso, as provas objetivas do Vestibular serão realizadas somente ano que vem.

Coronavírus: Unitau (SP) suspende inscrições do Vestibular de Inverno 2020 de Medicina
Oferta seria de 80 vagas e Vestibular contaria com duas fases. Suspensão do processo seletivo se deve pela pandemia do novo coronavírus.

Inep anuncia que provas do Enem 2020 serão adiadas
Órgão informou que, por causa da pandemia do coronavírus, agora provas serão realizadas de 30 a 60 dias depois do que estavam previstas

Projeto de Lei que adia o Enem 2020 é aprovado pelo Senado
Agora, o Projeto de Lei que foi aprovado por 75 votos a favor e 1 contra, irá para a Câmara dos Deputados.

Na Bahia, Unifacs inscreve para Vestibular 2020/2
Por causa da pandemia do coronavírus, os estudantes serão selecionados pelas notas do Enem

UVV, no Espírito Santo, recebe inscrições para Vestibular 2020/2
Candidatos serão avaliados pelas notas do Enem e por uma seleção no estilo game