Logo Super Vestibular
Whatsapp icon Whatsapp

Engenharia Eletrônica

Engenharia eletrônica atua sob os microaspectos de controle, automação e telecomunicação da energia elétrica.

Publicado por Wanja Borges
Engenheiro eletrônico lida com placas, transistores e circuitos encontrados em computadores e aparelhos similares
Engenheiro eletrônico lida com placas, transistores e circuitos encontrados em computadores e aparelhos similares

Apesar de ser vista muitas vezes como uma subdivisão da Engenharia Elétrica, a Engenharia Eletrônica é um segmento que vem ganhando espaço em grandes instituições de ensino do país e no mercado de trabalho. O termo ganhou destaque nos anos 50, após o surgimento do transistor, em 1948 e, três anos depois, o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) já instituía o primeiro curso de graduação em Engenharia Eletrônica do Brasil.

Com formação generalista e base sólida em exatas, o profissional graduado em Engenharia Eletrônica lida, resumidamente, com a eletricidade em escalas e potências menores. Sua atuação é pautada, prioritariamente, na projeção, desenvolvimento, instalação, operação, manutenção e gerenciamento de sistemas, componentes, dispositivos e/ou equipamentos eletroeletrônicos, a exemplo de placas, transistores e circuitos encontrados em aparelhos de rádio, TV, vídeo, computadores, etc.

Público-alvo

Além de gostar e ter facilidade com disciplinas da área de exatas, os estudantes que desejam ingressar neste curso devem, acima de tudo, ter espírito inovador, interesse e curiosidade pelo desenvolvimento e/ou implantação de novas tecnologias de serviços e produtos.

O curso

Os primeiros semestres do curso de bacharelado em Engenharia Eletrônica são compostos por disciplinas do núcleo básico da Engenharia, como cálculo, física, álgebra e química, e também temas introdutórios ao segmento, a exemplo de algoritmos e programação de computadores. 

No decorrer do curso, os estudantes também se deparam com métodos numéricos, eletromagnetismo, circuitos e dispositivos eletrônicos, eletrônica digital e analógica, eletricidade e, ainda, humanidades, cidadania, ética e comunicação, além de outras modalidades de engenharia, como elétrica, civil, ambiental e mecânica.

Duração média

Bacharelado – 10 semestres

Mercado de Trabalho

O mercado de trabalho para o engenheiro eletrônico está em constante ascensão, principalmente em decorrência do avanço da tecnologia, do desenvolvimento da economia e da crescente utilização de tecnologias de informação e comunicação. Vale ressaltar, ainda, que a abrangência da sua formação permite o exercício da profissão em diferentes áreas e segmentos.

Formas de atuação

O profissional graduado em Engenharia Eletrônica está apto a atuar com técnicas computacionais em empresas privadas, indústrias, laboratórios de pesquisa, instituições de ensino, setores da construção naval, química, de petróleo e gás e serviço público, seja por meio dos serviços de consultoria e assessoramento, desenvolvimento de produtos e serviços tecnológicos e/ou estudos de viabilidade técnico-econômica, bem como na execução e fiscalização de obras e serviços técnicos, vistorias e perícias e/ou emissão de laudos e pareceres.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Campos de atuação

Área industrial
(desenvolvimento de circuitos eletrônicos e componentes eletroeletrônicos; projeção de equipamentos destinados à automação de linhas de produção industrial)

Biomedicina
(desenvolvimento, instalação e manutenção de equipamentos biomédicos, dispositivos e componentes odonto médico hospitalares e de instrumentação biomédica)

Biotecnologia
(análise de sinais biológicos por meio de técnicas de processamento de sinais)

Concessionárias de energia
(projeção, manutenção e instalação industrial, comercial e predial ligado à energia)

Instrumentação e microeletrônica
(projeção e desenvolvimento de circuitos integrados para sistemas e de equipamentos para realização de medidas, registro de dados e atuadores)

Mercado de ações
(previsão de séries financeiras por meio de técnicas de estimação de sinais)

Multinacionais
(desenvolvimento e teste de novos produtos; participação de processos de gestão internos)

Telecomunicações
(projeção e construção de equipamentos e desenvolvimento de serviços de expansão de telefonia e de transmissão de dados por imagem e som)

Tecnologia da informação
(desenvolvimento de softwares e atuação com computadores, periféricos e sistemas embarcados)

Regulamentação da profissão

Lei nº 5.194, de 24 de dezembro de 1966
Resolução CNE/CES 11, de 11 de março de 2002

Quantidade média de profissionais

Conforme dados de junho de 2017 do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), cerca de 5,6 mil profissionais possuem o título de engenheiros em eletrônica e 10 mil são engenheiros eletricistas na modalidade eletrônica.

Remuneração média

A média salarial no Brasil é de R$ 6.138,25, segundo a Catho.

Exigências para exercício da profissão

Diploma de conclusão de curso de bacharelado em Engenharia Eletrônica;
Habilitação legal - Registro Profissional no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA) do estado onde atua.

A opinião de quem entende

O Super Vestibular quer saber como é a sua experiência como engenheiro eletrônico ou estudante da área. Conte-nos!

Veja também

Unifesp começa a aplicar as provas do Vestibular Misto 2022
Serão utilizadas pela Unifesp as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 e de suas próprias provas para a aprovação dos candidatos no Vestibular Misto 2022. 

Inep divulga gabaritos da Reaplicação do Enem 2021
Quase 100 mil estudantes fizeram as provas nos dias 9 e 16 de janeiro

Vestibular da UERJ exige preparação específica; veja dicas
Em razão da pandemia do coronavírus, processo seletivo alterou o formato para evitar aglomerações

Editais do ProUni e Fies do 1º semestre de 2022 estão disponíveis
O primeiro programa oferece bolsas de estudo em universidades particulares a estudantes que comprovem ter renda familiar entre um ou três salários mínimos. Já o Fies disponibiliza financiamentos em cursos igualmente ministrados em instituições privadas. Também é necessário comprovar renda.

1ª reclassificação do Vestibular 2021/2 de vagas remanescentes da UERJ está disponível
Os convocados devem realizar pré-matrícula e aceite da inscrição em disciplinas da classificação de forma online no período de 24 e 25 de janeiro.

UEMG inscreve para o Vestibular 2022
O processo seletivo havia sido extinto em março de 2019 para usar somente notas do Enem e agora retorna neste ano.

Edital do SiSU 2022/1 é divulgado
Além do cronograma, no Edital também é possível verificar as regas do Sistema.

MEC divulga datas de inscrições do SiSU, ProUni e Fies do 1º semestre de 2022
Programas oferecem vagas em instituições de ensino superiores. Para participar, é necessário ter feito o Enem.

IFSuldeMinas solta resultado do Vestibular 2022/1
O resultado preliminar saiu no dia 10 de janeiro e teve os dias 12 e 13 seguintes para recursos. Este já é o resultado final.

Inscrições para a 3ª etapa do PAS 2020 da UFLA são recebidas
O prazo para solicitar isenção da taxa de inscrição já foi encerrado e o resultado será disponibilizado no dia 27 de janeiro.

Provas da 2ª fase do Vestibular 2022 da Fuvest encerram com abstenção de 7,9%
O resultado final do Vestibular 2022 da Fuvest é esperado para 11 de fevereiro. Outras duas chamadas regulares estão previstas para os dias 25 de fevereiro e 07 de março. 

Reaplicação Enem 2021: menos de 30% dos inscritos comparecem às provas
Ao todo, 338.419 estudantes se inscreveram para realizar as provas, mas 70% não se apresentaram